Archive for fevereiro \15\UTC 2008

Feliz Aniversário

sexta-feira, 15/02/2008

Feliz AniversárioHoje faz 1 ano que este blog está no ar. Neste período foram 82 posts, o que dá mais ou menos a média de um post a cada 5 dias, ou 3 posts a cada duas semanas.

Até agora 107.451 pessoas passaram por aqui. Muitas delas, a maioria na verdade, atraídas pelo caso do pedrastation. De todos esses dias, o dia 24 de  agosto de 2007 foi o melhor: 16.794 pessoas vieram até aqui no dia em que o caso do pedrastation foi parar na home do IG.

Mas bastante gente apareceu por aqui também por causa dos resumos de livros e também para saber como pagar um boleto já vencido pelo internet banking.

Um quarto item que atrai bastante gente são os posts sobre finanças. Há um fluxo de acessos diários e constante nos posts dessa categoria.

Até hoje houve 512 comentários das pessoas que concordam ou discordam de mim. Houve também os vários que me xingaram e me chamaram de trambiqueiro, especialmente por causa do caso do pedrastation. Segundo o meu filtro anti-spam, outros 387 comentários foram barrados por serem indevidos.

Espero poder continuar escrevendo aqui por muito tempo ainda. Penso em continuar tentando passar alguma coisa de útil, agradável ou divertida e que possa ajudar as pessoas de alguma forma.

🙂

Trava língua – 2

quarta-feira, 13/02/2008

Da próxima vez que alguém fizer algum serviço porco ao arrumar a lataria do seu carro e ainda ficar inventando coisas para te cobrar um dinheiro a mais, diga para ele:

Funileiro fuleiro firuleiro

🙂

Carnaval no Anhembi

quinta-feira, 07/02/2008

Famìia reunidaNo último fim de semana fui no desfile das escolas de samba de São Paulo. Foi irado!

Eu fui com minha esposa, minha mãe, meu irmão e um casal de amigos: O Japonês e a Lara. Fizemos a festa.

Arquibancadas do AnhembiOs desfiles são muito contagiantes e você não consegue ficar parado. Mesmo quando alguma escola não empolga tanto, quando a bateria passa é impossível não se levantar.

Nós ainda tivemos a sorte de ver várias “paradinhas” das baterias bem na nossa frente. Várias delas também faziam algumas coreografias no momento dessas “paradinhas”. É realmente um show!

Alegoria da Vai-VaiNós ficamos no setor B, que na minha opinião é o melhor. Nós ficamos a aquibancada de baixo, para ver as coisas mais de perto. Poderíamos ter ficado na parte superior e ao invés de ver as coisas com tantos detalhes, teríamos uma melhor visão das formações e coreografias.

BateriaPara que você entenda o que eu estou falando, a bateria da Mocidade Alegre fez uma coreografia que formava um “S” e um “P” em homenagem a cidade de São Paulo. Da parte de baixo não consegui perceber isso, pois estava muito próximo. Mas por outro lado era possível ver a expressão de todos os integrantes e também cada movimento da coreografia. É questão de gosto.

Alegoria da Camisa Verde e BrancoO sambódromo ficou lotado e pegamos trânsito e fila para entrar, mas nada de anormal. Eu tive a infeliz idéia de deixar o carro no estacionamento do terminal do Tietê, o que complicou as coisas mais um pouco.

É que eu tive pegar um táxi até o sambódromo e peguei trânsito. Seria melhor ter enfrentado o trânsito no meu carro e estacionado lá perto, coisa que o japonês fez.

Alegoria sobre a festa do peão de JaguariúnaSe você for algum dia, recomendo que você chegue lá faltando entre 2,5 e 2 horas para o começo dos desfiles. Digamos você fique na fila por 1 hora, ainda terá no mínimo 1 hora para escolher o lugar, sentar, comprar água…

Caso você chegue mais cedo eu recomendo fortemente que você fique o mais à esquerda possível no setor B (tanto em cima quanto em baixo), pois é mais próximo do recuo da bateria e você ainda vai poder assistí-la enquanto ela estiver parada. Eu não tive esta sorte e fiquei mais à direita. E ainda assim foi irado!

Meu irmão, Lara e o JaponêsPor falar em sorte, eu tive a sorte de ver o desfile da Vai-Vai e da Mocidade Alegre. Elas foram campeã e vice, respectivamente. Com toda a certeza elas mereceram. Foram as que nos deixaram mais animados.

O único detalhe negativo ficou por conta do pessoal da Mancha Verde e mesmo da Vai-Vai, que distribuem bandeirinhas antes do começo do desfile. Acontece que eles juntam 15 ou 20 bandeirinhas em um maço e jogam para o público.

Eu e minha esposaMas eles jogam muiiiiiitos maços dessas bandeirinhas. É uma chuva que dura uns 3 minutos! Esses maço ficam pesados e machucam o “sortudo” que estiver desprevinido. Quando não machuca pode derrubar copos, etc.

Mas isso não vai me impedir de voltar no ano que vem.

Frederico Ourico

segunda-feira, 04/02/2008

Eu, Fred e TonyNo último dia 11 fomos ao casamento do Fred. Também conhecido como Fred Grugger, ou Frederico Ourico.

Eu e Fred moramos juntos na época da faculdade. Como ele mesmo dizia, comemos muita água (bebemos cerveja) e jogamos vários “babas” (pelada para os baianos). Além de outras zueiras mais.

Regina e CamillaHoje, 7 anos depois de formados, eu moro em SP e ele no RJ, mas trocamos emails de vez enquando para nos mantermos atualizados.

O casamento foi na cidade de Araruama, na região dos lagos. Tudo foi muito divertido, desde a viagem de SP até lá, o casamento e também o domingo que passamos em búzios.

Beijo dos noivosMas o melhor mesmo foram os momentos que antecederam o casamento. O noivo saiu atrasado do Rio, pegou trânsito, esqueceu o carregador de celular, não tinha reserva em hotel, não levou xampú, esqueceu o cinto e não sabia dar nó em gravata. Bem no clássico estilo baiano sossegado, já que Fred é da BA.

Moqueca em BúziosSem falar que depois que dei o nó ná gravata dele, ele disse que ficou sobrando uns pedaços de pano, que viemos a descobrir que era o lenço!

Se não fosse eu (nó na gravata), Regina (ajuste no lenço), Tony e Camilla (Xampú) não sei se esse casamento tinha saído, heheheh.